Cunha, J. (1893)

CUNHA, José Germano (1893). Jornalismo do Distrito de Castelo Branco. Resenha Histórica.

Autor: CUNHA, José Germano
Ano de elaboração (caso não coincida com ano de publicação)
Ano de publicação/impressão: 1893
Título completo da obra: Jornalismo no Distrito de Castelo Branco. Resenha Histórica
Tema principal: História do Jornalismo
Local de edição: Fundão
Editora (ou tipografia, caso não exista editora): Tipografia da Beira Baixa
Número de páginas: 36

Cota na Biblioteca Nacional e eventualmente noutras bibliotecas públicas
Cota na Biblioteca Nacional: P. 8062 V. T.R. 1831//3 V.
Cota na Biblioteca Municipal do Porto: O1-2-79


Esboço biográfico sobre o autor

José Germano da Silva Pereira e Cunha, jornalista e poeta, natural de Castelo Branco nasce a 1839 e morre no Fundão em 1903. Ainda novo colaborou em prosa e verso no Almanaque de Lembranças e depois em vários jornais. Fundou o Apóstolo da Verdade, que no ano de 1870 começou a ser publicado no Fundão. Criou também o Jornal do Fundão (1898) e o Unhais da Serra (1900).

Tem várias publicações, especialmente sobre a terra onde nasceu, tais como A propósito da Monografia de Castelo Branco, Jornalismo no Distrito de Castelo Branco (Resenha História) e O Fundão (breve notícia, com gravuras).


Índice da obra

[Não tem índice]

Resenha Histórica pp. 5-6
I – Sentinela da Liberdade pp. 6-8
II – O Comércio da Covilhã pp. 8-9
III – A Estrela da Beira pp. 9-10
IV – A Sentinela da Liberdade pp. 10-11
V – Eco Operário pp. 11-12
VI – O Apóstolo da Verdade pp. 12-13
VII – O Covilhanense pp. 13-14
VIII – O Campeão da Beira pp. 14-15
IX – O Clamor Popular p. 15
X – O Anunciador da Beira p. 16
XI – O Correio da Beira pp. 16-17
XII – A Defesa p. 18
XIII – O Penamacorense pp. 18-19
XIV – O Entusiasta pp. 19-20
XV – O Artista p. 20
XVI – O Covilhanense pp. 20-21
XVII – O Heitor Pinto p. 22
XVIII – Jornal da Sertã pp. 22-23
XIX – Correio da Covilhã p. 23
XX – O Resumo p. 24
XXI – O Distrito de Castelo Branco pp. 24-25
XXII – O Correio das Províncias p. 25
XXIII – O Albicastrense p. 25
XXIV – O Certaginense p. 26
XXV – 6 de Setembro de 1891 p. 26
XXVI – A Beira Baixa pp. 26-27
XVII – A Covilhã pp. 27-28
XXVIII – A Religião e o Operário pp. 28-29

Folhas sem habilitação legal p. 31
XXIX – O Morcego p. 31
XXX – Perseguição À Imprensa p. 32
XXXI – O Moscardo p. 32
XXXII – O Cri-cri p. 32
XXXIII – O Bacalhoeiro p. 33
XXXIV – O Doméstico p. 33


Resumo da obra (linhas mestras)

Este livro encerra uma listagem de jornais existentes no distrito de Castelo Branco. O autor começa por fazer uma curta introdução sobre o aparecimento do Jornalismo, primeiro na Europa. José Germano da Cunha atribui a condição de primeiro jornal ao Nieuve Tijdingen, fundado por Abrahão Verhoven (p. 5). Seguidamente, fala do contexto nacional, referindo, por exemplo, as Relações de Manuel Severim. Finalmente, reporta-se ao jornalismo no distrito de Castelo Branco. O autor faz ainda uma lista de agradecimentos a todos os que o auxiliaram a recolher todas as informações sobre os periódicos do distrito.

A esta pequena introdução segue-se, então, uma lista de todos os periódicos impressos e publicados em Castelo Branco, cada um distinguido por um número. Em todos os jornais que aparecem nesta Resenha são apontadas e descritas as notícias contidas no seu interior, tipologia da publicação, data de início e sua duração.

No final o autor inclui ainda uma relação de publicações albicastrenses sem habilitação legal.


Nome do autor da ficha bibliográfica: Nair Silva
E-mail: nair.silva@gmail.com
Ċ
Jornalismo UFP,
27/05/2010, 20:46