Gracias, J. (1880)

GRACIAS, José António Ismael (1880). A Imprensa em Goa nos Séculos XVI, XVII e XVIII. Apontamentos Histórico-Bibliográficos.

Autor: GRACIAS, José António Ismael
Ano de elaboração (caso não coincida com ano de publicação): 1880
Ano de publicação/impressão: 1880
Título completo da obra: A Imprensa em Goa nos séculos XVI, XVII e XVIII
Tema principal: História do Jornalismo
Local de edição: Nova-Goa
Editora (ou tipografia, caso não exista editora): Imprensa Nacional
Número de páginas: 111

Cota na Biblioteca Nacional e eventualmente noutras bibliotecas públicas
Biblioteca Nacional Cotas: 

TR. 535 // 1V.


Esboço biográfico sobre o autor

José António Ismael Gracias nasceu a 29 de Agosto de 1857, na freguesia de Curtorim, concelho de Salcete, distrito de Goa, antigo Estado da Índia. Foi considerado o aluno mais distinto em Latim e teve uma brilhante carreira: foi o Primeiro Oficial Chefe da Secção Interior, Oficial Maior, Professor de Economia Política e Direito Administrativo, escritor de inúmeros artigos literários, científicos e históricos, entre outros cargos exercidos. Durante os últimos 35 anos da sua vida, colaborou na redacção de muitos regulamentos, códigos e outros diplomas legislativos publicados no Estado da Índia e também em Portugal. Tinha um lema de vida: “O Trabalho tudo vence”.

Faleceu a 27 de Janeiro de 1919.


Índice da obra

Prólogo
Introdução da imprensa em Goa no século XVI ………………………………………………………………………………………. Pág. 1
Fundação do Colégio de S. Paulo – Dom Gaspar de Leão Pereira ……………………………………………………………………. Pág. 6
O Doutor Garcia d’Orta – Seus Colóquios (…) Primeira poesia impressa de Camões (…) O doutor Dimas Bosque………………… Pág. 7
Carta ao Povo de Israel – Jerónimo de Santa Fé ……………………………………………………………………………………….. Pág. 11
Concílios celebrados em Goa ………………………………………………………………………………………………………….. Pág. 12
Constituições Synodaes do Arcebispado de Goa impressas em 1568 ………………………………………………………………….. Pág. 19
Mapa-Mundo do cosmógrafo português Fernão Vaz Dourado …………………………………………………………………………. Pág. 19
Desenganos de perdidos compostos pelo arcebispo Dom Gaspar e impressos em 1573 – Índice expurgatório ………………………… Pág. 22
Censuras e licenças que havia em Goa e em Portugal para a publicação de livros ……………………………………………………… Pág. 23
Notícia sobre o falecimento e jazigo do arcebispo D. Gaspar de Leão Pereira e do arcebispo Cochim D. Fr. André de Santa Maria …. Pág. 24
Colégio de Salcete ………………………………………………………………………………………………………………………. Pág. 26
Padre Thomaz Estevam – carta que escreveu a seu pai – Notícia da sua morte – Os reitores do colégio Rachol ……………………… Pág. 27
Obras do Padre Thomaz Estevan ………………………………………………………………………………………………………… Pág. 39
Padre Diogo Ribeiro da Cruz – Seus discursos sobre a vinda do apóstolo S. Pedro, impressos em 1634 ……………………………… Pág. 46
Manoel Jacome de Mesquita – Sua relação impressa em 1643 …………………………………………………………………………. Pág. 47
Purana da Biblioteca …………………………………………………………………………………………………………………….. Pág. 48
Padre António de Saldanha – suas obras impressas e inéditas ………………………………………………………………………….. Pág. 49
Padre Miguel de Almeida – Suas obras …………………………………………………………………………………………………. Pág. 50
Padre João de Pedrosa – Suas obras …………………………………………………………………………………………………….. Pág. 64
Cessam as tipografias de funcionar ……………………………………………………………………………………………………… Pág. 65
Os Franciscanos e as letras ……………………………………………………………………………………………………………… Pág. 67
Os jesuítas e a imprensa no Malabar. Padre Henrique Henriques ……………………………………………………………………… Pág. 69
Carta do secretário d’Estado proibindo as imprensas em Goa …………………………………………………………………………. Pág. 70
Explicação dos motivos da cit. Carta O Marques de Pombal e os Jesuítas …………………………………………………………….. Pág. 71
Extinção da companhia de Jesus em Goa ………………………………………………………………………………………………. Pág. 80
Primeira tipografia em Goa no século presente ………………………………………………………………………………………… Pág. 89
Movimento literário em _Goa – Imprensa particular …………………………………………………………………………………… Pág. 90


Resumo da obra (linhas mestras)

Esta obra de José António Ismael Gracias consiste na elaboração de “Apontamentos Histórico-Bibliográficos” que listam os livros e jornais impressos em Goa, a partir de 1557.

O autor informa no seu livro que o primeiro impressor a chegar à Índia foi João Bustamante que imprimiu o catecismo que visava proporcionar um ensinamento religioso, em 1557. Foi também fundado o Colégio de S. Paulo, onde estavam abertas tipografias, de forma a acompanhar o movimento intelectual.

São apontados diversos nomes de arcebispos que marcaram a imprensa, tal como D. Gaspar de Leão Pereira, referido pelo autor como o “primeiro arcebispo de Goa em 1560, varão doutor e virtuoso, presidindo aos destinos da arquidiocese, presidia igualmente ao movimento dessas imprensas”.

São referidas publicações de D. Gaspar de Leão Pereira, entre outros arcebispos, tal como: “Os desenganos de Perdidos”, em 1573. No entanto, José António Ismael Gracias faz lembrar a existência de censura prévia aos livros que foram impressos: “Já se viu que a maior parte dos livros que fizemos menção, foram impressos com prévias censuras e licenças, inclusive os do arcebispo Dom Gaspar! (…) O que mostram essas censuras e licenças até para os livros escritos por pessoas de reconhecidas letras e piedade? Quando muito provam o poder da terrível Inquisição, poder que não conhecia limites, e que se estendia até a acorrentas o espírito e opor-se à livre manifestação do pensamento.” (p. 23).

Outras personalidades são também mencionadas ao longo desta obra, como o Padre Thomaz Estevan, Padre Diogo Ribeiro, Padre António Fernandes, Padre Miguel de Almeida, Padre António de Saldanha, bem como as suas obras e cartas publicadas.

Entre outras obras de conotação jornalística publicadas em Goa, o autor indica as seguintes:
1) Publicados entre 1821 e 1826
Gazeta de Goa – Jornal Oficial do Governo; Crónica Constitucional de Goa – Jornal Oficial; Boletim do Governo do Estado da Índia – Jornal oficial; Eco da Lusitânia – Jornal Político; O Vigilante – Jornal Político; O Observador – Jornal Político; A Biblioteca de Goa – Jornal Literário; O Enciclopédico – Jornal Literário; O Compilador – Jornal Literário; Correio de Nova Goa – Jornal Político; Jornal da Santa Igreja Lusitana do Oriente – Jornal Oficial Eclesiástico; A Voz dos Povos da Índia – Jornal Político; O Gabinete Literário das Fontainhas – Jornal Literário; O Compilador – Jornal Literário; O Mosaico – Jornal Literário; O Defensor da Ordem e da Verdade – Político; O Defensor do Real Padroado – Político; A Revista Ilustrativa – Literário; A Sentinella da Liberdade na Guarita de Damião – Político; Mensageiro Bombayense - Semanal; Investigador Português em Bombaim – Semanal; Pregoeiro da Liberdade – Semanal; Índio Imparcial; Observador; Abelha de Bombaim – Político

2) Publicados entre 1856 e 1877 (semanais e de carácter político)
Boletim do Governo do Estado da Índia; O Ultramar; A Índia Portuguesa; A Phenix de Goa; A Harmonia; A Aurora de Goa; A Sentinella da Liberdade; Jornal de Notícias; A Imprensa; A Gazeta de Goa; O Mensageiro; O País; O Progresso; A Opinião pública; O Oriente; A Gazeta de Bardez; Nova Goa; A Pátria; Desejo da Civilização do País.

3) Publicados entre 1856 e 1877 e de carácter científico ou literário
Recreio Bimensal; Tirocinio Literário; Jornal de Farmácia e Ciências necessárias da Índia Portuguesa; Revista medico-militar da Índia Portuguesa; Periódico Militar do Ultramar Português; Recreio das Dunas; Ilustração Goana; Harpa do Mandory – que consiste num jornal de poesias -; O Recreio Mensal; O Cronista do Tissuary; Jornal de Farmácia Química e História Natural médica; Instituto Vasco da Gama; Album Literário; A Estreia Literária. Dentro dos religiosos publicados, são referidos também, na obra de José António Gracias, diversos jornais, sendo os seguintes: O Oriente Católico; A Cruz; O Patriota; A Estrela do Norte; O Anglo-Português; A Semana e A União


Autor: Cíntia Leticia Batista Ferreira
E-mail: batista_cintia@hotmail.com

Ċ
Jornalismo UFP,
29/05/2010, 11:46