Dias, R. (1957)

DIAS, Raul Neves e EÇA, Filipe Gastão de Almeida (1957). A Imprensa Periódica em Moçambique (1854-1954).

Autor: EÇA, Filipe Gastão de Almeida de
Ano de elaboração (caso não coincida com ano de publicação)
Ano de publicação/impressão: 1953
Título completo da obra: Qual foi o Primeiro Livro Impresso em Moçambique?
Tema principal: História do Jornalismo
Local de edição: Lisboa
Editora (ou tipografia, caso não exista editora): Separata dos n.ºs 341-342 do Boletim Geral do Ultramar
Número de páginas: 30

Cota na Biblioteca Nacional e eventualmente noutras bibliotecas públicas
Biblioteca: Biblioteca Pública Municipal do Porto
Cotas: J6-7-48


Índice da obra[Não tem índice.]Primeiro prelo moçambicano e introdução da tipografia em Moçambique: pp. 6-17
Primeiro livro impresso em Moçambique: pp. 17-29

Resumo da obra (linhas mestras)Esta obra gira à volta da questão lançada no título: Qual foi o primeiro livro impresso em Moçambique?Antes de responder a esta pergunta, o autor apresenta um pequeno perfil demográfico de Moçambique nos séculos passados. Prefere começar por apresentar a história do surgimento da imprensa neste país (ou província portuguesa), fazendo uma abordagem ao estado da censura em Portugal.

Segundo o autor, a imprensa só surgiu em Moçambique em 1854. A fragata “D. Fernando II”, que trazia a bordo o novo Governador-Geral de Moçambique, o Major Vasco Guedes de Carvalho e Meneses, e o Governador do novo distrito de Tete, o major António Cândido Pedroso Gamito, trouxe também um prelo e material tipográfico para estabelecer a primeira tipografia no país (a imprensa nacional).

13 de Maio de 1854 foi, de acordo com Eça, a data de publicação do primeiro jornal impresso em Moçambique. Foi o primeiro número do Boletim Oficial do Governo da Província deMoçambique. A gazeta oficial tinha 4 páginas, onde estava inserido um artigo de fundo, provavelmente do Governador-Geral: “A imprensa é um dos melhores inventos do espírito humano. Ela tem prestado os mais importantes serviços ao comércio, à indústria, aos interesses, e à civilização duma grande parte dos povos do universo”, explica o autor.

De seguida, é apresentado o primeiro folheto impresso em Moçambique, considerando-se a seguinte distinção: menos de 50 páginas: folhetos; entre 50 e 100 páginas: opúsculos; mais de 100 páginas: livros. O primeiro folheto moçambicano teria, assim, surgido em Setembro de 1854, intitulando-se Regulamento Geral das Alfândegas da Província de Moçambique, de 18 páginas.

O primeiro livro impresso em Moçambique, apesar de estar previsto pelo autor que fosse publicado em finais de 1858 ou início do ano seguinte, surgiu apenas no final de 1959. Foi o ALMANCH / CIVIL ECCLESIASTICO HISTORICO-ADMINISTRATIVO / DA / PROVINCIA DE MOÇAMBIQUE / Para o Anno de 1859, 3.º depois do Bissexto. / Por / J. V. da Gama / Vinheta com as armas reais portuguesas / MOÇAMBIQUE / IMPRENSA NACIONAL / 1859 /. Continha efemérides de cada dia do ano, o orçamento geral de Moçambique e da Câmara Municipal de Moçambique. Divulgava, também, a população da colónia. Tinha um artigo sobre a plantação de mandioca na província, entre outras coisas. Como diz o autor da obra: “é um valioso repertório de notícias históricas”.

O autor do primeiro livro impresso em Moçambique (do Almanaque) era indiano.


Autor (nome completo): Alexandre Sousa Fernandes
E-mail: aesafs@gmail.com





SEGUNDA FICHA

Autor: DIAS, Raul Neves
Ano de elaboração (caso não coincida com ano de publicação)
Ano de publicação/impressão: 1957
Título completo da obra: A Imprensa Periódica em Moçambique: 1854-1954 - Subsídios para a sua História
Tema PRINCIPAL: História do jornalismo.
Local de edição: Moçambique
Editora (ou tipografia, caso não exista editora): Lourenço Marques: Imprensa Nacional de Moçambique
Número de páginas: 121

Cota na Biblioteca Nacional e noutras bibliotecas públicas
Biblioteca: Biblioteca Nacional Cotas: P. 2678 V


Índice da obra[Não tem índice]

Introdução - p. 3
Legislação - p. 5
Fontes de Informação - p. 11
Informações inéditas - p.29
Qual foi o primeiro jornal não oficial publicado em Moçambique? - P.31
A evolução da imprensa periódica em Moçambique - p. 43
O primeiro periódico - p.47
Segundo Periódico - p. 63
Concluindo e agradecendo… -p. 105
Como foi comemorado o primeiro centenário da imprensa periódica em Moçambique - p. 106


Resumo da obra (linhas mestras)Esta obra reporta-se à imprensa periódica em Moçambique durante o período de 1854 a 1954, sendo essencialmente um catálogo hemerográfico da mesma.

Na introdução, o autor cita a sua monografia intitulada Quatro Centenários em Moçambique, subordinada ao tema da Imprensa Periódica em Moçambique. Diz também que é muito difícil fazer uma enumeração completa dos jornais que foram publicados, visto só se encontrarem elementos de informação nos Anuários de Moçambique. No entanto, o autor procurou obter elementos para fazer uma resenha, quanto possível completa de todos os jornais publicados em Moçambique, elementos esses que resultaram de uma copiosa colheita do Arquivo Histórico.

Seguidamente, Raul Neves Dias faz uma enumeração de algumas leis a que a imprensa periódica em Moçambique esteve sujeita, legislação essa que era comum para a Metrópole e Ultramar.

De acordo com Raul Dias, a imprensa periódica em Moçambique foi, no passado, caracteristicamente combatível, mas, a par das campanhas bem intencionadas havia campanhas pessoais pouco dignificantes. Dai o desaparecimento de alguns jornais ou a sua substituição.

Em 1926, o ministro das Colónias, Comandante João Belo, publicou um decreto regulador da liberdade de imprensa nas colónias, revogando toda a legislação em contrario.

Com o passar do tempo, entrou em vigor legislação que estabeleceu pesadas sanções, devido a um caso recente, para os abusos de liberdade de imprensa.

Meses antes da visita ao ultramar do ministro das Colónias, Armindo Monteiro, este proclamou outro decreto-lei com vista a dispensar os directores de imprensa periódica da exigência do diploma de curso superior ou especial e de, na falta desse diploma, demonstrarem a sua capacidade técnica no exame de provas públicas.

Finalmente, outro ministro das Colónias, Francisco Vieira Machado, publicou no Boletim Oficial legislação relativa ao exercício da liberdade de imprensa nas colónias. Os seus fundamentos invocados foram a necessidade de reunir num só diploma a legislação para as colónias sobre o exercício da liberdade de imprensa e de refundir alguns dos seus preceitos, de modo a adaptá-los melhor ao Ultramar, dotando os governos das colónias de meios mais eficientes.

Contudo houve vários decretos e artigos reguladores da liberdade de imprensa nas colónias que modificavam e aperfeiçoavam algumas das disposições dos decretos anteriores.

Seguidamente, em Fontes de Informação, o autor enumera alguns contributos de vários autores para a construção da história da imprensa periódica de Moçambique, entre os quais se destacam Brito Aranha, Sousa Ribeiro, Lourenço Marques, Rocha Martins, Maia Costa, entre outros.

Em Informações Inéditas, o autor revela outras fontes de informação de que se serviu para o seu trabalho, dando especial destaque a Filipe Gastão de Almeida.

Relativamente à questão sobre qual foi primeiro jornal publicado em Moçambique, o autor, de início, e porque não havia noticias de qualquer outro periódico anteriormente publicado, julgou que este fosse uma gazeta intitulada O Progresso, que surgiu a 9 de Abril de 1868.

Mais tarde, o Baluarte foi reconhecido como o primeiro jornal publicado em Moçambique. O autor revela, porém, ter ficado desapontado com o sucedido, visto que acarinhava o projecto de utilizar o Progresso “para rabiscar uma dessaborida noticia sobre o primeiro jornal impresso em Moçambique”. Posteriormente, o autor deixa para os seus leitores uma história moçambicana de título “ O Nascimento de O Progresso e etc. em Moçambique”, ilustrada com artigos retirados do mesmo.

O autor divide em dois períodos a história do jornalismo moçambicano. O primeiro vai de 1854 a 1898; o segundo vai de 1898 a 1954.

Primeiro Período, 1854 - 1898

1854
Boletim do Governo da Província de Moçambique. Foi o boletim oficial da província.

1860
O Baluarte foi supostamente o primeiro jornal publicado em Moçambique.

1866
O Clamor Militar: Outro jornal que se deu como publicado em Moçambique, e que teria sido dos primeiros jornais da província se, de facto, tivesse nela sido publicado, foi Clamor Militar. Mas o seu prazo foi expirado devido á falta de provisões.

1868
O Progresso (hebdomadário religioso, instrutivo, comercial e agrícola): o primeiro número sai em Moçambique a 9 de Abril segundo os seus redactores. Brito Aranha classifica este jornal em 1868, Rocha Martins e Mário Costa desconhecem-no mas Mário Costa dá conta de um jornal, o Progresso colonial. Mais tarde por mais ninguém é citado, havendo possivelmente confusão com o Progresso.

1870
A imprensa: Brito Aranha não dá conhecimento deste jornal, enquanto Rocha Martins e o Capitão Mário Costa dão como tempo de publicação entre 1870 a 15 de Março de 1873.
Sr. Almeida de Eça também diz que em Moçambique se publicou a imprensa, semanário político, literário e noticioso.

1871
A verdade: Brito Aranha e Mário Costa situam-no em 1880 enquanto Rocha Martins situam-no em 1871. O Sr. Almeida de Eça refere que saíram por duas vezes jornais com o título A Verdade, um 1871 e outro em 1880.

1872
Noticiário em Moçambique (Bissemanário): Proprietários, Francisco de Paula Carvalho, Joaquim José e João Carvalho, este ultimo alegado como administrador, o nº 1 saiu numa quinta-feira, 5 de Setembro. Em 19 de Dezembro de 1872 Joaquim José deixou de fazer parte do jornal.

1873
Jornal de Moçambique (periódico semanal):
Saiu o n.º 1 em quinta-feira, 10 de Abril em Moçambique. Foram seus proprietários Francisco de Paula Carvalho, como editor responsável, e João Carvalho como director e administrador.

1876
Africa oriental (periódico semanal):
Foi criado por Joaquim José Lapa e saiu o primeiro número na cidade Moçambique numa quinta-feira 30 de Novembro de 1876 tipografia da África oriental, nunca indicado nomes redactores, directores e editores. Era propriedade de Francisco de Paula Carvalho.
Jornal noticioso e literário, com características governamentais.

1877
O Africano (Semanário): Publicou-se Quelimane era um jornal de” trazer por casa”, tinha por divisa ou lema “instrução - religião - moralidade. Tinha como proprietário e administrador, João António Correia Pereira.

1879
Ilustração: Na África oriental passavam um comunicado que indicava que em Agosto de 1879 se publicava em Quelimane um periódico intitulado ilustração.

1880
A Verdade (político literário e noticioso): Publicado em 10 de Abril e terminado em 2 Maio do mesmo ano.
O Gato publicado em 30 de Agosto era Hebdomadário e publicava-se em Moçambique.

1881
Revista Africana (Periódico, mensal de instrução e recreio): director e proprietário, J.P. da Silva Campos de Oliveira. Primeira publicação Março de 1881. Tendo apenas a durabilidade de um ano mas reaparecendo em 1885 sendo publicado mensalmente, com o mesmo director.
O Correio de Moçambique: o Capitão Mário Costa situa o primeiro número em 15 de Março.

1882
O Quelimanense (Semanal): órgão dedicado aos interesses da Zambézia, redactor Mariano Henriques de Nazaré.
O Vigilante: Saiu em Quelimane o primeiro número em 9 de Agosto.

1885
Imparcial: apenas saíram 3 números e era seu fundador, director e redactor principal o ex. - Alferes Alfredo de Aguiar.

1886
Civilização africana:
O progresso colonial:
Correio de Zambézia:

1888
O primeiro jornal não oficial publicado em Lourenço Marques
Districtode Lourenço Marques:
Moçambique:

1889
O primeiro jornal oficial em Lourenço marques
Boletim Oficial do Governo de districto de Lourenço marques:

1890
A situação (semanário): Propriedade da empresa tipográfica portuguesa de Lourenço Marques, Director Artur António Mateus Serrano. Publicado a 1 de Fevereiro.

1891
Gazeta do Sul: fundada por Alfredo de Aguiar que também publicara em 1885 O imparcial.

1892
Clamor Africano: também fundado por Alfredo Aguiar e a primeira publicação saiu em Quelimane a 2 de Março.
O primeiro jornal oficial na Beira, A beira
Ccommercio de Lourenço Marques (semanário): propriedade de Batista de carvalho & Irmão e como director, Pedro Chichorro. O n.º foi publicado em 3 de Setembro.

1893
Correio de beira: primeiro número em 2 de Abril e teve como administrador Albano de Mendonça e como editor Henrique moral.

1894
O Futuro de Lourenço Marques (semanário): propriedade de Leão Cohen & C.ª
Echo da Zambézia: o capitão Mário Costa assinala este jornal em Quelimane

1897
O primeiro e único jornal municipal na Província: Boletim Municipal do concelho de Lourenço Marques
O primeiro jornal oficial no Niassa: Boletim da Companhia do Niassa: publicado em 8 de Novembro.

1898
The Beira Post, como titulo e Correio da Beira, como subtítulo.
O Futuro (Trissemanário, sucessor de O Futuro de Lourenço Marques, suprimido em 1885)

Segundo Período, 1898 - 1954:

1898 a 1905
O Português (Semanário)
Portuguez (Semanário, sucessor de O portuguez, suprimido em 30 de Novembro de 1900)
O Progresso de Lourenço Marques (Semanário, sucessor de O Portuguez e do Portuguez, ambos suprimidos)
A portugueza (Semanário, sucessor de O Portuguez, do Portuguez e de O Progresso de Lourenço Marques, todos suprimidos) Imparcial (Semanário)
O Mignon (Semanário humorístico, ilustrado)
Boletim das Alfandegas
O Ideal
The Delagoa Gazette (Diário)
Jornal do Commercio (Semanário)
O Districto (Diário)
Diário de Notícias
Boletim da Repartição de Agricultura e Boletim Agrícola Pecuário

1906 a 1910
Boletim dos correios, dos correios e telégrafos e dos correios, telégrafos e telefones
Vida Nova (Bissemanário)
A Tribuna (Diário)
O Macaco
Delagoa Bay Gazette - Mozambique Gazette - Gazeta de Moçambique: sucessoras de “ the Delagoa Gazette”, diário publicado em 1903
O Inconditional (Semanário)
A Portugueza
Era Nova

1911 a 1920
A Republica
Heraldo (Semanário)
O Despertar (Semanário)
Os Simples: destinado á defesa de todos aqueles que usurpados nos seus direitos, tenham fome e sede de justiça.
O Graphico
Província de Moçambique
Africano
O intransigente: suplemento humorístico e ilustrado
O Zabumba (quinzenário humorístico)
O Jornal do Comercio
Germinal (jornal operário)
Boletim dos Portos e Caminhos de Ferro
Pró - Pátria (Semanário)
O Ferroviário
A Cidade
O Riso
A Província (semanário, órgão da sociedade de propaganda Colonial
O Brado Africano (Semanário)
Emancipador
O Oriente
O Estudante (educação e trabalho)
Boletim Sanitário: publicação dos serviços de saúde da província, dando conta do seu estado sanitário

1921 a 1925
Dambu de Africa (sol de Africa)
Moçambique (revista mensal de propaganda da província)
Correio de Moçambique (Semanário)
A colónia (Jornal republicano, defensor dos interesses da Província)
O Colonial
Semana Desportiva
Imparcial (Semanário)
O direito
O Comércio
Brado do Comércio
Boletim Económico e Estatístico e Boletim Mensal e trimestral de Estatística
Correio de Lourenço Marques
A Voz do Comercio
O Radical (órgão da Sociedade de Propaganda colonial “ Pró-pátria” - Jornal republicano, defensor dos interesses da Província de Moçambique
Portugal (Semanário)
O Sol (revista quinzenal - critica, propaganda, arte, sport, etc.)
Algodão de Moçambique (revista quinzenal agrícola)
Província de Moçambique

1926 a 1930
A liberdade e O Jornal
Acção Nacional
Noticias (Diário)
Agulhas e Alfinetes (Humorístico)
A Luz
O Despertar do Interior
O Indo-português
O Miúdo da província de Moçambique
O Funcionário (boletim da Associação dos Funcionários Civis da Província de Moçambique, organização filiada na associação dos Funcionários Coloniais de Lisboa).
Imprensa de Lourenço Marques
O Evangelho (jornal de propaganda religiosa)
O Zoófilo: Jornal de propaganda da liga Nacional de defesa dos Animais
Boletim dos Portos, Caminhos-de-ferro e transportes
Miragem (Revista)
Gazeta da Relação de Lourenço marques: revista critica dos tribunais
Boletim da Sociedade de estudos da província de Moçambique

1931 a 1935
Moçambique (órgão da Liga de Defesa e Propaganda da Província da Moçambique
Republica (Pela Liberdade - pela Democracia)
Semana Desportiva
O Oriente de Africa (Sucessor de oriente)
Clamor Africano: em prol dos interesses dos naturais das Colónias Portuguesas
Cine - África: cinema, teatro, musica, literatura, humorismo, desporto. Revista quinzenal.
O Ilustrado: edição gráfica do noticias
Africana: revista mensal ilustrada
Democracia (Semanário republicano)
União (Semanário)
O Casapiano
Africa Medica: revista mensal de higiene e medicina tropicais
Boletim Mensal das Observações meteorológicas
Moçambique (documentário trimestral)
Leituras
Piri - Piri
Rádio Moçambique (revista mensal)
Lusitânia
Ordens da província

1936 a 1940
Africa: revista quinzenal de cultura e propaganda colonial.
O Jornal (Diário da manhã)
Primeiro de Maio
Anseio: folha de literatura e critica, tentativa dos novos.
Boletim dos serviços de industria e Geologia
Boletim do Clube dos lisboetas
Q.R.V (boletim da liga dos Radioemissores de Moçambique
Eco dos sports
O Diário
O Desportivo
Boletim da Costa das Beiras
Boletim Sanitário dos Serviços de veterinária e Pecuária
Boletim dos organismos de Coordenação económica da Colónia de Moçambique
Jornal da Criança

1941 a 1945
Itinerário
Sentinelas do Império
O diário
Alvorada: revista de cultura e propaganda dos alunos da escola Técnica Sá da Bandeira
Noticias (numero extraordinário de domingo)
Horizonte: revista da actualidade
Africa Ilustrada: revista gráfica mensal de propaganda e intercâmbio colonial, estudos, cultura e critica
O Ferroviário (órgão Clube de Moçambique)

1946 a 1950
Ritmo (revista da actualidade)
Boletim Mensal da Associação Comercial de Lourenço Marques
SNECI (Boletim de Informação e Propaganda)
Jornal da Mocidade Portuguesa
Vida Académica
Ao Serviço da Eucaristia (Órgão de propaganda da Guarda de Honra do Santíssimo Sacramento)
Agora (Semanário)
Manifesto: Liberdade pela autoridade
Gazeta do Agricultor: Publicação mensal de divulgação dos conhecimentos agrícolas e veterinários
Tribuna
Jornal dos Farmacêuticos
A Voz de Moçambique: Boletim noticioso da Casa da Metrópole
Elo: revista, tentativa de novos

1951 a 1954
Império (revista mensal)
Guia dos Exportadores e Importadores de Moçambique
O Nosso Jornal: Boletim do Grupo Desportivo Organizações Pendray
Boletim da Casa do Porto
Noticias da Tarde (diário)
Voz da Munhuana (mensal)
Actualidade (revista)
Sol e Touros
KuriKa (semanário infantil)
Guardian Desportivo
Boletim do Clube Naval (anual)
Nauticus: Jornal de seguros
Espectáculo: Semanário de divulgação e critica - Cinema, Teatro e Musica
Union: political and cultural information. A Portuguese bimonthly journal
A Imprensa de Mozambique
O Zé dos Pobres

INHAMBANE
1912
A Alvorada
Correio da Beira e Beira Post
Noticias da Beira
Manica e Sofala
Jornal de Minas da Companhia de Moçambique
Imparcial
Pátria
Tempo
Espectro
Comercio da Beira
O 19 de Junho
Missão Africana
Voz Africana
Vanguarda
O Piririsca
Aqui Beira CR7IB
Centro Recreativo Indo-português
Arauto
Diário de Moçambique
O Domingo
O Echo de Moçambique
O Moçambique
Avante
O Nacional
O Distrito
O Norte

Outras Publicações Periódicas, embora não possam classificar-se como pertencendo á imprensa periódica, embora não se possa classificar como pertencendo á imprensa periódica:
The Delagoa Bay Directory - Anuário de Lourenço Marques
O Africano (Almanaque)

Como conclusão da sua reflexão, Raul Neves Dias apresenta-nos um texto denominado “Como Foi Comemorado o Primeiro Centenário da Imprensa Periódica em Moçambique ”, em 1954.


Nome completo do autor da ficha bibliográfica: Susana Pedreira Pedra
E-mail: Susana_pedra@hotmail.com


Ċ
Jornalismo UFP,
28/05/2010, 10:27
Ċ
Jornalismo UFP,
28/05/2010, 10:25